Assembleia Ambiental da ONU aprova acordo para combater poluição plástica

Pacto ambiental é considerado o mais significativo desde o acordo climático de Paris de 2015; documento está previsto para ser concluído em 2024.
plastic-waste-gc645a2a0e_1920

Nesta quarta-feira, 2 de março, a Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEA) aprovou um acordo histórico para criar o primeiro tratado global para acabar com a poluição por plástico no mundo. Considerado pela organização como o pacto ambiental mais significativo desde o acordo climático de Paris (2015), o documento está previsto para ser concluído em 2024.

Os países-membros das Nações Unidas, entre elas o Brasil, conversaram por mais de uma semana em Nairóbi, capital do Quênia, para chegar a um acordo sobre o esboço de um tratado para conter a crescente poluição plástica. Chefes de Estado, ministros do Meio Ambiente e outros representantes de 175 nações assinaram o documento, que aborda todo o ciclo de vida do plástico desde a origem até seu descarte.

Autoridades governamentais comemoraram com aplausos a adoção da resolução, que foi escrita em termos amplos. Um comitê intergovernamental agora tem a tarefa de negociar um tratado vinculante que deverá ser adotado por empresas em todo o mundo.

Segundo o Pnuma (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), a produção de plástico aumentou, exponencialmente, nas últimas décadas e agora chega a cerca de 400 milhões de toneladas por ano, um volume que deve dobrar até 2040.  

Qualquer tratado que imponha restrições à produção, uso ou design de plástico afetará empresas de petróleo e de produtos químicos que fabricam plástico bruto, bem como gigantes de bens de consumo que vendem milhares de produtos em embalagens de uso único

Fonte: ONU News

Imagem: Pixabay

Compartilhe
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on print
Imprimir
Publicidade
Outras notícias

Cadastro

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da Revista Saneas.