Iniciativa da USP usará resíduos de podas de árvores para fabricar móveis e objetos

O projeto “Dapoda – Laboratório Vivo de Design” foi premiado na competição global No Waste Challenge, utilizando o design como solução para reduzir o desperdício e combater as mudanças climáticas.
Divulgacao-Dapoda

Com o objetivo de transformar os rejeitos das podas de árvore de São Paulo em matéria-prima para a criação de objetos e mobiliário urbano, alunos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU/USP criaram o Dapoda – Laboratório Vivo de Design.

O projeto foi o único brasileiro premiado na competição global “No Waste Challenge, promovida pela plataforma independente What Design Can Do, utilizando o design como solução para reduzir o desperdício e combater as mudanças climáticas. Os vencedores foram anunciados em julho.

O embrião do projeto foi apresentado no Seminário Internacional da Nutau (Núcleo de Pesquisa em Tecnologia da Arquitetura, Urbanismo e do Design da USP) e foi selecionado pela SGA (Superintendência de Gestão Ambiental da USP) para atuar na compensação das emissões de gases de efeito estufa no campus da universidade.

Resíduos de podas de árvores em SP

De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, cerca de 45% de todos os resíduos gerados no país correspondem à fração orgânica – pouco mais de 36 milhões de toneladas de restos de alimentos e resíduos de poda. Somente no ano de 2019, o município de São Paulo gerou 50 mil toneladas de resíduos provenientes dos serviços de áreas verdes, que englobam poda e remoção de árvores e conservação de áreas ajardinadas.

Já neste ano, a Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Amlurb, informou em nota que foram coletadas, entre janeiro e junho, 33.338 toneladas de resíduos de podas de árvores na cidade.

Fonte: Um só Planeta

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
Imprimir
Publicidade
Outras notícias

Cadastro

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da Revista Saneas.