Máscaras descartáveis podem ser transformadas em asfalto

Estudo realizado por cientistas do Royal Melbourne Institute of Techonology (Austrália) mostra que é possível reciclar cerca de 3 milhões de máscaras para cada quilômetro de estrada.
pesquisadores-usam-mascara-base-asfalto-conexao-planeta-800x445

Pesquisadores estimam que hoje são usadas 6,8 bilhões de máscaras descartáveis, por dia em todo o mundo, como medida de proteção contra o coronavírus. A grande maioria, 75%, de acordo com a Organização das Nações Unidas – ONU, é descartada de forma errada, gerando resíduos que vão parar em aterros sanitários e nos oceanos. A boa notícia é que cientistas do Royal Melbourne Institute of Technology, Austrália, desenvolveram um estudo e descobriram uma forma de reduzir o impacto desse descarte na natureza e ainda usar o material reciclado para a construção, economizando nos custos das obras.

A pesquisa recém-divulgada mostra que é possível reciclar cerca de 3 milhões de máscaras para cada quilômetro de estrada. Esta descoberta pode gerar uma economia de até 93 toneladas de resíduos que seriam descartados no meio ambiente. Basicamente, o asfalto das estradas possui quatro camadas compostas de subleito, base, sub-base e asfalto, a parte visível para todos.

As três camadas inferiores possuem em sua composição o chamado RCA (agregado de concreto reciclado), que são entulho da construção civil reaproveitado. O material resultante das máscaras foi incorporado a esse concreto e gerou uma mistura de material de base super durável, que atende todos os requisitos da engenharia civil.

Fonte: Portal Pensamento Verde

Leia também sobre o assunto aqui.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
Imprimir
Publicidade
Outras notícias

Cadastro

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da Revista Saneas.