Setor de Saneamento já possui índices que reconhecem as práticas ESG

AdobeStock_466906884

As empresas que atuam no setor de saneamento também já contam com índices para a validação das suas práticas ESG. É o caso do ABES ESG Index, do PNQS – Prêmio Nacional da Qualidade no Saneamento 2022. Ao longo de 2021, no processo de desenvolvimento do prêmio, foram avaliados os reflexos da pandemia e as mudanças trazidas pelo Novo Marco Legal do Saneamento, que gerou inovações e uma demanda de reposicionamento nas empresas do setor, bem como provocou um novo olhar para esse mercado e a necessidade de adequação no modelo de gestão de cada organização visando atender às exigências ligadas ao meio ambiente, ao social e à governança. Esse cenário fomentou a importância de mostrar o que tem de melhorias no processo de avaliação das empresas, por meio da aplicação das métricas alusivas ao ESG Index nas empresas participantes desta edição.

“Temos observado essa vertente das métricas do ESG se solidificando muito fortemente no setor de saneamento como um todo. Elas estão muito presentes dentro de todas as empresas do mercado de capital aberto, independente de ser saneamento ou não, mas quando nos voltamos para o mercado de saneamento percebemos que as práticas, os serviços e os produtos entregues pelo saneamento são ESG na veia!”, destaca Samanta Tavares de Souza, coordenadora do Comitê Nacional da Qualidade da ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental).

Para ela, essa postura crescente por parte das empresas do setor de saneamento em nível nacional vem ao encontro da proposição do trabalho desenvolvido há 25 anos no PNQS, que está alinhado à preservação do meio ambiente, da governança e, principalmente, das práticas sociais que valorizam os aspectos de cidadania, de saúde e de respeito a toda população brasileira. “Sendo assim, adotamos as métricas ESG na premiação a partir de 2022 para proporcionar mais solidez nas ações das organizações do setor possibilitando que elas cresçam de forma cada vez mais sustentável ao respeitar essas práticas”, ressalta Samanta.

Samanta ressalta que a recente notícia de que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) editou a Resolução nº 59/21, a qual estabelece que as companhias abertas divulguem, no formulário de referência, dados referentes às suas práticas ESG, chega num bom momento para o PNQS 2022.

Outro exemplo de adoção das métricas ESG na avaliação das empresas é o PPQG MIG – Mérito da Inovação em Gestão, promovido pelo Instituto Paulista de Excelência da Gestão (IPEG) através do MIG ESG, no qual concorrem os “Cases” sobre programas ou ações exemplares e com bons resultados, promotoras do desenvolvimento ambiental, social ou da governança e associadas a um ou mais Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS 3.

Segundo informações do IPEG, os programas associados ao desenvolvimento ambiental e social devem alcançar, respectivamente, áreas e públicos externos.

A Revista Saneas, edição 79, traz o ESG como reportagem de capa. Confira!

Acesse aqui.

Compartilhe
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on print
Imprimir
Publicidade
Outras notícias

Cadastro

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da Revista Saneas.